A Pressão em cima de Davi Acolumbre

Senadores de oposição ao Governo estão pressionando Davi Alcolumbre, presidente da CCJ no Senado, para que faça andar o processo de sabatina de André Mendonça.

Senado Federal

A Pressão em cima de Davi Acolumbre

Por Raquel Brugnera - 25/08/2021

Decifrem:

Senadores de oposição ao Governo estão pressionando Davi Alcolumbre, presidente da CCJ no Senado, para que faça andar o processo de sabatina de André Mendonça.

Telmario Mota do PROS, Carlos Viana do PSD, Carlos Portinho, líder do PL e até Alessandro Vieira, líder do Cidadania estão exigindo que Davi paute imediatamente a sessão de sabatina.

Quem conhece o histórico das falas e votos desses senadores, sabe que eles não costumam "aliviar" para o Presidente, ao contrário de Alcolumbre, que durante seu mandato como Presidente do Senado, viveu uma relação de altos e baixos com Bolsonaro.

Ao mesmo tempo que fazia declarações contra o Presidente da República, ele foi o responsável por segurar o pedido de impeachment de JB ao avisar Rodrigo Maia (então Presidente da Câmara), que não adiantava pautar impeachment na casa dos Deputados porque o processo não seguiria adiante na casa dos Senadores. 

Reza a lenda, que foi por isso que Maia passou seu mandato apenas ameaçando Jair e chorando na sequência. 

Então, se Davi Alcolumbre pode até articular favorável ao Presidente, mas os opositores em questão, não, por que será que desta vez, são os opositores que querem avançar o processo (QUE EM TESE AGRADARIA JAIR)?

Veja bem, não estou dizendo que Alcolumbre seja um aliado, só trouxe a luz o que é sabido no Congresso, Maia não tinha apoio de Alcolumbre para pautar impeatchmant, os motivos podem ser pessoais ou políticos. 

O fato é, a oposição está com pressa e Davi está segurando!

Já corre na imprensa que a aprovação da indicação de Mendonça pode ser uma "moeda de negociação" de Bolsonaro com o STF.

Esta teoria fica cada vez mais provável ao ver as falas dos opositores. Veja o que disse Viana do PSD:

"Nós somos 81 eleitos, cada um com sua voz. Eu tenho absoluta certeza de que vários aqui – a maioria – caminham comigo no sentido de não autorizar o Senhor Davi Alcolumbre a usar o Senado como forma de negociações políticas para o interesse dele. Esta Casa precisa ser respeitada. A indicação tem que ser colocada na CCJ e são os membros que vão decidir."

Telmario Mota do PROS:

"Eu queria fazer um apelo ao Senador Davi, que presidiu esta Casa e que teve todo o nosso apoio, inclusive na CCJ. Agora, a CCJ tem que andar, a fila tem que andar. Não pode hoje colocar na CCJ um tranca rua. A CCJ tem que julgar: ou aprova ou desaprova."

E o Alessandro Vieira do Cidadania:

"A indicação é do Presidente da República e, a nós, cabe fazer a avaliação desse nome. Não há razões para sobrestar a análise, para retardar o preenchimento da vaga em aberto, com todos os riscos que essa lacuna causa para a democracia." 

Agora, a cereja do bolo! A ferrenha opositora de Jair Bolsonaro, a Senadora Eliziane Gama do Cidadania apelou para a religião e a ética para forçar Davi a pautar imediatamente a sabatina, por também ser evangélica ela disse:

"André Mendonça, como todos já colocaram aqui, é uma pessoa que tem qualificação técnica para isso e não se pode subjugá-lo por uma disposição religiosa. É bom lembrar que, se não for ele, vai vir outro! Quem indica os membros para o Supremo Tribunal Federal, pela Constituição Federal, é o Presidente da República! É Jair Bolsonaro, e eu faço oposição a ele, mas é um fato." 

Alguém mais sentiu um cheiro estranho nesse "surto ético" da oposição do Senado? 

Espero que Davi sente (mais uma vez) no processo e aguarde a sinalização. 

Bem sabemos que é difícil um político de oposição ser coerente, agora, cinco ou seis ao mesmo tempo? Aí já é demais para este pobre coraçãozinho brasileiro, que nem bate, só apanha.


Compartilhe

Últimas Postagens