Atentado as torres gêmeas completa 20 anos

Na manhã de 11 de setembro de 2001 os Estados Unidos da América e o mundo presenciaram um dos maiores ataques terroristas da história, quando as famosas torres gêmeas do World Trade Center e o Pentágono foram atingidos em ataques kamikaze realizados pela organização terrorista Al-Qaeda, comandada na época por Osama Bin Laden. 

Divulgação

Atentado as torres gêmeas completa 20 anos

Por Thiago Silva - 11/09/2021

Na manhã de 11 de setembro de 2001 os Estados Unidos da América e o mundo presenciaram um dos maiores ataques terroristas da história, quando as famosas torres gêmeas do World Trade Center e o Pentágono foram atingidos em ataques kamikaze realizados pela organização terrorista Al-Qaeda, comandada na época por Osama Bin Laden. Os fundamentalistas islâmicos sequestraram quatro aviões da Boeing (dois 757 e dois 767) de duas diferentes empresas aéreas americanas, ao todo 19 terroristas executaram a ação e tomaram o controle dos aviões pouco tempo depois da decolagem, todos os aviões selecionados como destino final na Califórnia.

As 8h46 da manha o primeiro Boeing que continha 11 tripulantes e 76 passageiros, alem de 5 terroristas, foi jogado contra a torre norte. 17 minutos depois, o segundo voo com 9 tripulantes, 51 passageiros e 5 terroristas colidiu com a torre sul. Quando o mundo tentava entender os fatos que estavam em curso teve-se a noticia de mais um ataque. As 9h37 a terceira aeronave com 6 tripulantes, 53 passageiros e 5 terroristas foi jogada sobre o Pentágono prédio do Departamento de Defesa dos EUA em Washington. O ultimo avião tinha como possível o alvo do Capitólio, mas caiu próximo a Shanksville na Pensilvânia as 10h03 após alguns dos 7 tripulantes e 33 passageiros tentarem retomar o controle das mãos de 4 terroristas.

Em um intervalo de 77 minutos, a Al-Qaeda aliviará um dos maiores avanços em solo norte-americano da historia resultante em 2.996 vidas ceifadas diretamente, no entanto como consequências desse fato perduram até a atualidade. A reação americana foi imediata e em outubro do mesmo ano o governo George W. Bush adicionou tropas que invadiram o Afeganistão com o objetivo de derrubar o Talibã que também é de orientação fundamentalista e estava dando abrigo à Al-Qaeda. O regimento do Talibã estava no poder do Afeganistão desde 1996 e o resultado após a entrada do exercício americano foi uma ocupação que durou 20 anos sendo encerrada recentemente pelo atual presidente Joe Biden com, segundo o presidente,um custo final de 1 trilhão de dólares aos cofres americanos na chamada Guerra ao Terror declarada pelo ex-presidente Bush desenvolvida logo após ataques do 11 de setembro. O Iraque também foi ocupado em 2003, na execução de Saddam Hussein que na época era o atual presidente iraquiano. Saddam foi acusado de ter armas de destruição em massa e ligações com a Al-Qaeda algo que nunca foi de fato provado. Capturado em 2003 logo após a ocupação, Saddam foi condenado ao enforcamento em 2006 pelo tribunal do novo governo iraquiano.

A represália americana a esses países entre outros embates ao oriente médio foi de fato massiva, mas a conclusão final que satisfaria o mundo só viria em 2 de maio de 2011 quando tropas da marinha dos EUA sob sigilo realizaram uma operação na cidade de Abbottabad localizada próxima a Islamabad, capital do Paquistão, onde após quase longos 10 anos o governo americano enfim pode anunciar a morte de um dos maiores algoritmos da historia americana; Osama Bin Laden. A ação que foi orquestrada pelo ex-presidente Barack Obama, decorreu a partir do trabalho de inteligência que em 2007 descobriu o nome de um dos informantes mais conhecidos de Bin Laden e com as informações rastrearam até que tinha o suposto esconderijo. Em março de 2011 Barack Obama ministrou reuniões com o conselho de segurança nacional planejando uma invasão e captura do terrorista no complexo paquistanês, em maio do mesmo ano Obama da ordem e um grupo de 25 soldados em 40 minutos invadir e neutralizar Bin Laden e mais 5 pessoas que estavam não locais. A ação foi comemorada pelos americanos e pelo mundo.

Alem de todos os fatos e o desencadeamento da Guerra ao Terror de Bush, os avanços do 11 de setembro mudaram a conjuntura geopolítica mundial e desde então após graves crises e as constantes ameaças de novas guerras e avanços como nações nunca mais foram como corrigidos. Campanhas pela paz mundial são constantemente propagadas por ONGs e órgãos governamentais, mas o “trauma” que esse ataque causou fez com que o mundo se retraísse e percebesse o quanto estavam vulneráveis a esse tipo de caos, investindo cada vez mais pesado em segurança interna e armamento cada vez mais tecnológico, sempre em alerta para a possibilidade de uma nova guerra causando uma situação de paz instável e oscilante entre as nações que já perduram por 20 anos.


Compartilhe

Últimas Postagens