Cookies management by TermsFeed Cookie Consent

O Chile elegeu ontem seu presidente mais jovem da história do país

Gabriel Boric é da geração Milenar, já foi cabeludo, cantou em uma banda de rock, mas ao menos teve o bom senso de desistir, pois assumidamente era um péssimo cantor.

Paul Plaza Amar / Aton Chile

O Chile elegeu ontem seu presidente mais jovem da história do país

Por Toca do Lobo - 20/12/2021

Gabriel Boric é da geração Milenar, já foi cabeludo, cantou em uma banda de rock, mas ao menos teve o bom senso de desistir, pois assumidamente era um péssimo cantor.

Com o slogan de que "a esperança venceria o medo" (mais cafona que isto, só letra de banda EMO), o jovem candidato venceu seu opositor José Antonio Kast, considerado pela "inprença" como ultra mega blaster porra master direita, já que extrema esquerda, para nobres "jornaleiros" não existe.

Extrema lá e cá é só a "direita", já notaram?

Esquerdismo é uma dádiva de tão fofo que é pra esta turma da hipocrisia.

Convenhamo também que exigir honestidade da "inprença" é como exigir fidelidade num prostíbulo.

Mas voltando ao Chile, o assunto do dia, mas não pelas famosas vinícolas, o país oficialmente será regido pelo governo da esquerda.

O voto no Chile não é obrigatório.

Sua eleição mais recente foi também a que mais teve eleitores, pois cerca de 55% dos chilenos compareceram às urnas, mas quase a metade (45%) optou em não sair de casa para votar, talvez porque não sinta confiança em nenhuma das duas vertentes.

Neste embate polarizado a chance da esquerda vencer é sempre muito maior, pois a militância canhota é bem mais acirrada e unida, vide o fato de que até mesmo os inimigos se unem quando o intuito for derrotar os adversários conservadores e sempre "malvadões", frente a estes anjos barrocos da seita do comunismo caviar.

Não conheço Boric a fundo e nem sei como foi sua atuação como deputado. Confesso que não tenho interesse algum em saber, já que bastam os deputados e senadores daqui para roubarem o meu sono.

O Chile é um lindo país. Tenho amigos queridos por lá e visitei algumas cidades e lugares fantásticos, incluindo o espetacular Deserto do Atacama, portanto só me resta torcer para que os irmãos chilenos tenham feito uma boa escolha, afinal não se trata de meu país, portanto reconheço não ter envergadura alguma para condena-los pelo resultado.

Eles sabem o que fazem, ou como os argentinos, talvez pensem que saibam, e venham a se arrepender, mas isto só mesmo o tempo dirá.

Mas o episódio pode servir como uma lição simples aos mais afoitos e temerosos que o Brasil siga o mesmo rumo:

Será que tanto na Argentina, quanto no Chile, a direita foi quem de fato perdeu e não necessariamente um venceu esquerdo?

Antes que algum tiozão do pavê me acuse de Sherlock, vou explicar melhor:

Se ambos os países saídos de governos de esquerda, apostaram na direita e logo retornaram para a esquerda, será que não na hora de uma "mea culpa" desta tal "direita" e tentar se reformumar, ao descontar de culpar todos , menos ela mesma, pela derrota?

Convenhamos que o discurso focado de Kast contra o aborto, o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a admiração total pela ditadura de Pinochet mais assusta que agrega.

O foco do eleitorado da esquerda está nos jovens, nos trabalhadores e nas classes mais baixas da pirâmide, que já somam a maioria de um país, correto?

No fundo, meus caros, o primeiro grupo quer romantismo, ilusão e boa retórica; o segundo quer emprego e o terceiro quer comida e mínimas condições de tecnologias.

Quem sabe falar estas três línguas, garante uma vitória.

O Brasil vive hoje um governo de "direita", mas que caminha apaixonado e de braços dados com o centrão, mas até onde isto é bom para um país ou garantia uma reeleição?

O Chile, talvez à frente, criou algo que o Brasil ainda não foi capaz: um líder jovem.

Enquanto a próxima eleição será disputada por dois controversos dinossauros da política, como lideranças jovens disputam por aqui o concurso de Miss Vaidade.

O "líder" da esquerda fala "elu", quer liberar drogas e destruir uma base familiar, enquanto o "líder" da direita vê demônio e pecado em tudo, menos no que ele faz, se preocupa com a vida sexual dos outros e luta pra ser cada vez mais velho e chato no auge de seus 25 anos de idade.

Este é o quadro da liderança jovem no país, mas também não é para se espantar, basta ver o nosso jovem segue no instagram, curte no Youtube e posta no Facebook.

Eis o "futuro" do país.

E você jura que tá preocupado com o cara de 35 anos que subiu ao poder de forma democrática num país que você mal sabe localizar no mapa?

Meus caros, a esqueda está contaminada há séculos e a direita, ainda engatinhando, acredita que já nasceu Yoda.

Pra fechar, deixo um simples exercício de física?

De um lado vem uma locomotiva velha, toda grafitada, espalhando uma nuvem verde por sua chaminé que corta os ventos numa velocidade X. De outro lado uma locomotiva rebaixada, pintada de verde oliva, com um DJ no topo tocando Eletrônico e sertanejo. Na cabine forrada a veludo estão cinco maquinistas calçando sapatênis e bebendo Heineken em copo Stanley, enquanto discutem frases de livros que nunca leram.

Pergunta: qual estrago elas farão ao se chocarem?

Tendeu, colega?

Deixa a ressaca de Concha Y Toro com os chilenos, enquanto ainda tentamos nos curar do porre diário de vinho Chapinha.


Compartilhe

Últimas Postagens