Cookie Consent by TermsFeed Generator

Chegou a hora de parar de levantar poeira para essa gente

Quando se fala em inteligência artificial, principalmente em algoritmos de rede social, muita gente se equivoca no que tende a negativar ou reverberar alguns assuntos. 

Divulgação / Instagram

Chegou a hora de parar de levantar poeira para essa gente

Por Victor Vonn Serran - 03/01/2022

Quando se fala em inteligência artificial, principalmente em algoritmos de rede social, muita gente se equivoca no que tende a negativar ou reverberar alguns assuntos. Basta pensar que o sistema da rede não vai te mandar somente coisas que você curte, mas o que faz você reagir, a ponto de gerar mais informações para as métricas que ele tem.

Nunca paramos para pensar que algumas celebridades conhecem como os robôs funcionam. Elas pagam pessoas ou agências especializadas para gerar esse tipo de relevância, e orientadas por seus marqueteiros, sabem exatamente o que dizer, e quando dizer, para virar o assunto do momento, e encontrar nessa brecha, oportunidades para divulgar novos trabalhos, shows e projetos. Provavelmente oportunidades que elas não teriam, se não fosse cotadas para opinar sobre uma polêmica nova, na qual podem estar diretamente envolvidas.

E por isso, tantos artistas miram Bolsonaro. Os motivos desses ataques nunca estariam somente no fato de não haver mais tantos repasses de verbas, através das leis de incentivo à cultura, como imaginam os apoiadores, mas também na questão da relevância, que as críticas ao presidente de um país poderiam em teoria, gerar.

Claro que os repasses são um motivo importante, mas o que o pessoal realmente quer é estar em evidência. Nenhum artista de axé estaria nos trending topics do Twitter só lançando um disco novo, ou divulgando um show. Para isso, eles precisam estar no centro de uma discussão relevante, que na maioria das vezes é criada artificialmente. A campanha do "Ele Não" é um exemplo perfeito de como os algoritmos funcionam, que mais ajudou Bolsonaro que atrapalhou.

Quando os apoiadores da direita começarem a entender que quanto mais atenção for entregue a essas polêmicas, mais artistas vão copiar o processo, criando um círculo de relevância em todos os inimigos do presidente, colaborando para crises de imagem, da qual o Bolsonaro, sempre acaba tendo problemas para resolver.

O lance ainda fica mais sério, quando ditos apoiadores intelectuais, também usam o sistema para aproveitar seus benefícios. Os círculos acabam chegando em parte da população alienada, que não entende os processos, e faz destes artistas, modelos de comportamento político.

O ideal é focar em tudo que o governo fez de bom, e simplesmente não ligar quando a patota começa a criar alvoroço com o nome do Jair. Dar atenção apenas para o que trás benefícios, e ignorar opiniões forçadas, pode ser o fator que vai fazer diferença nos votos em 2022.

Eles não querem criticar o cara, ou suas ações, eles querem usar ele. Assim como também querem nos usar.

Não fazer o jogo deles, vai quebrar o padrão de marketing de muitos, e quando perceberem que a pegada não funciona mais, como funcionava antes, tendem a abandonar a estratégia.

Chegou a hora de parar de levantar poeira para essa gente.


Compartilhe

Últimas Postagens