Cookie Consent by TermsFeed Generator

Kassab quer tornar o PSD uma cópia do que foi o PMDB em outros governos

Ontem escrevi sobre a manobra na qual o presidente da Câmara passa de peça de defesa, para peça de ataque. Hoje vou escrever sobre a sombra de Pacheco, aquela que tornei o Senador uma pedra no sapato de Lira. O líder do PSD, Gilberto Kassab.

Divulgação / Instagram

Kassab quer tornar o PSD uma cópia do que foi o PMDB em outros governos

Por Victor Vonn Serran - 29/10/2021

Ontem escrevi sobre a manobra na qual o presidente da Câmara passa de peça de defesa, para peça de ataque. Hoje vou escrever sobre a sombra de Pacheco, aquela que tornei o Senador uma pedra no sapato de Lira. O líder do PSD, Gilberto Kassab.

Kassab já foi prefeito de São Paulo, com muitas polêmicas. Tanto no sentido de empregar irmã no gabinete, quanto nas delaçoes da JBS na lava-jato Paulista. Criou uma secretaria para o suposto caso Rodrigo Garcia, que hoje é o braço direito de Dória. Inclusive foi Rodrigo que aproximou o líder do PSD de Alckmin e Doria, além de Michel Temer.

Certa vez, lembro de ter lido no Blog do Poder do José Felix, que em uma palestra da faculdade FMU em SP, Kassab teria brigado em público, ameaçando soltar grampos sobre Gabriel Chalita, na qual prometia quebrar o pescoço do affair Rodrigo Garcia, do próprio Chalita e até do Alexandre de Moraes.

Dizem que a confusão foi tão grande que o ministro Marco Aurélio, que também estava no evento, teve de intermediar um aparte.

Polêmicas a parte, Kassab é um excelente articulador. Tanto para construir e municiar seu partido, quanto nos diálogos com aliados e opositores. Assim que Pacheco teria ganhado para a presidência da Câmara, e Alcolumbre para CCJ, as fontes futuras que foram feitas pelo líder do PSD, que fez propostas indecentissimas caso o apoio a Lula fosse consolidado.

Kassab sabia pelas declarações antigas contra o presidente, que não poderia trocar de lado, e apoiar Bolsonaro. Lula já é mais próximo, e ele dançou com o PT várias vezes em outras vezes.

Mesmo que Pacheco saísse como candidato, uma articulação para vice para o próprio Kassab seria costurada, onde os benefícios supostamente também chegariam a Alcolumbre. Tanto com indicações como verbas e até uma possível presidência do Senado.

E embora essa informação ainda precise de uma confirmação mais sólida, pelo transcorrer dos fatos últimos não duvidaria de sua veracidade.

O fato é que Kassab quer tornar o PSD uma cópia do que foi o PMDB em outros governos, e comandar indiretamente todos os recursos e poderes do país. No xadrez do poder, é impossível ignorar o cacique. Monitorar seus posicionamentos, frustrando parte de suas articulações, vai ser fundamental para garantir que Bolsonaro se reeleja.

Como diz o personagem saudoso Victor Corleone, mantém seus amigos por perto, e seus inimigos mais perto ainda.


Compartilhe

Últimas Postagens