Governo Federal inaugura novas instalações do Centro de Pesquisa em Energia e Materiais em Campinas

O presidente da República Jair Bolsonaro participou, na tarde de sexta-feira (8), da abertura da 1ª Feira Brasileira do Nióbio e da inauguração de novas instalações do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, no interior de São Paulo.

Governo Federal inaugura novas instalações do Centro de Pesquisa em Energia e Materiais em Campinas Foto: Isac Nóbrega / PR

Governo Federal inaugura novas instalações do Centro de Pesquisa em Energia e Materiais em Campinas

Ciência e Tecnologia Por: Alexandre Branco - 13/10/2021

O presidente da República Jair Bolsonaro participou, na tarde de sexta-feira (8), da abertura da 1ª Feira Brasileira do Nióbio e da inauguração de novas instalações do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, no interior de São Paulo. O CNPEM é uma organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

A 1ª Feira Brasileira do Nióbio apresenta produtos desenvolvidos pelas empresas em conjunto com universidades, voltados para a aplicação do mineral com intuito de contribuir com o posicionamento do Brasil no cenário mundial como referência voltada à produção, caracterização e aplicação do nióbio.

O nióbio é um metal de transição usado em inúmeras aplicações de alta tecnologia, como carros, estruturas de edifícios e pontes, turbinas de avião, aparelhos de ressonância magnética, marcapassos, sondas espaciais, foguetes, tubulações de gás, componentes eletrônicos e baterias.

O Brasil é considerado o maior produtor de nióbio do mundo, com cerca de 90% da produção mundial. Para o Presidente da República, essa situação coloca o Brasil com o monopólio do nióbio, mas que a maior parte do produto é exportada. Segundo ele, é preciso desenvolver tecnologia aqui. “Quanto mais tecnologia, mais certeza nós temos de sermos realmente um país de sucesso no futuro. E o Brasil tem tudo para ser uma grande nação”, ressaltou o presidente Jair Bolsonaro.

No evento foi assinado um acordo de cooperação e pesquisa tecnológica entre o CNPEM e a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração para acelerar o desenvolvimento de tecnologia de alta performance e de materiais supercondutores.

Sirius

Foram inauguradas cinco novas linhas de luz no Sirius, o acelerador de partículas brasileiro de última geração do CNPEM que gera luz sincrotron, que é utilizada para investigar a composição e a estrutura da matéria em suas mais variadas formas, com aplicações em praticamente todas as áreas do conhecimento.

Agora, o Sirius passa a contar com seis estações de pesquisa, todas inauguradas nos últimos dois anos, que vão contribuir com pesquisas de ponta em diversas áreas do conhecimento.

Durante o evento, também foram entregues novas instalações do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) que integra o CNPEM e que são dedicadas à pesquisa de nanodispositivos e nanossistemas que possibilitam desenvolvimento nas áreas da saúde, meio ambiente, agricultura e energia.

“A ciência e tecnologia estão ao nosso redor no dia a dia. É através da ciência e tecnologia que a gente tem todos os confortos da vida atual. Todos os países que hoje são desenvolvidos, eles são desenvolvidos porque investem em ciência e tecnologia de forma estável e durante décadas. Não é uma coisa que a gente faz do dia para a noite, mas a ciência e tecnologia tem resultado todo dia”, ressaltou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.

Ilum

O presidente Jair Bolsonaro  também participou da inauguração da Ilum Escola de Ciência, construída em parceria entre o Ministério da Educação e o CNPEM. A Ilum é uma escola de graduação criada para formar profissionais aptos a atuar em áreas que exigem sólida base científica e tecnológica. O projeto foi financiado pelo MEC.

O curso de graduação, com três anos de duração em período integral, é gratuito e pelo menos 50% das vagas serão destinadas a estudantes vindos das escolas públicas. O processo seletivo para admissão de alunos deve se iniciar em novembro de 2021 e o início do curso está previsto para fevereiro de 2022, com 40 vagas abertas anualmente.

(Com informações do Palácio do Planalto)


Compartilhe