Cookies management by TermsFeed Cookie Consent

Em visita a Sorocaba, presidente do Ciesp anuncia investimento de R$ 286 milhões

O presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone, cumpriu agenda de trabalho em Sorocaba na última quarta-feira (04).

Em visita a Sorocaba, presidente do Ciesp anuncia investimento de R$ 286 milhões Foto: Divulgação

Em visita a Sorocaba, presidente do Ciesp anuncia investimento de R$ 286 milhões

Ciência e Tecnologia Por: Alexandre Branco - 09/05/2022

O presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone, cumpriu agenda de trabalho em Sorocaba na última quarta-feira (04). O empresário do setor têxtil concedeu entrevista a veículos de imprensa e anunciou o lançamento do projeto “Jornada da Transformação Digital”, que pretende oferecer consultoria e suporte profissional para que 40 mil indústrias paulistas modernizem seus sistemas nos próximos dois anos e meio.

De acordo com Cervone, o impacto da Jornada pode aumentar em até 50% a produtividade das empresas que aderirem à transformação. “A jornada será essencial para apoiar a transformação digital nas empresas, modernizando a tecnologia e os modelos de negócios. O impacto será muito significativo, trazendo competitividade e maturidade digital”, disse o presidente do Ciesp.

Segundo Pesquisa da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), 66% das micro e pequenas empresas estão no estágio inicial de maturidade digital e essas empresas apontaram quatro dificuldades básicas para realizar a transição: traçar a estratégia, desconhecimento das ferramentas e potencialidades, escassez de profissionais capacitados e falta de recursos para investir.

Com base nestes resultados, o Senai, o Sebrae, o Ciesp e a Fiesp formataram o programa que está estruturado em oito etapas. “A digitalização é um processo longo, com mudanças profundas na estrutura organizacional. Hoje existem cerca de 53 mil indústrias em São Paulo, sendo que 48 mil são de pequeno porte e o nosso programa está estruturado para atender 92% das MPEs”, observou Cervone.

Para o diretor titular do Ciesp Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, esse programa terá um impacto positivo em toda a cadeia produtiva. “As grandes empresas também serão beneficiadas, uma vez que as micro e pequenas fazem parte da cadeia produtiva e são fornecedoras de matéria-prima para elas. Além disso, as empresas que participarem da transformação digital estarão aptas para seguir rumo a Indústria 4.0 e se manterão competitivas no mercado”, destacou.

Outro motivo de comemoração, segundo Syllos, é que o projeto terá custo zero para as indústrias associadas ao Ciesp nas fases iniciais. “As metodologias utilizadas já foram aplicadas em empresas de diversos portes, em projetos específicos, com resultados muito positivos. O Senai e o Sebrae também poderão apoiar essas empresas na elaboração de projetos de captação de recursos em órgãos de financiamento como Fapesp, Desenvolve SP e BNDES”, concluiu. Para saber mais sobre a Jornada, acesse o site https://jornadadigital.sp.senai.br .

Palestra Macrotendências

Durante a visita, o presidente do Ciesp também se reuniu com empresários e fez uma apresentação das principais tendências que podem impactar a economia e a sociedade nas próximas décadas. O encontro, realizado na regional do Ciesp Sorocaba, reuniu cerca de 100 empresários.

Segundo Cervone, o monitoramento dessas tendências é importante para avaliar oportunidades de negócios e orientar os investimentos das empresas. “Esse estudo foi realizado com informações das bases de dados do Ciesp e da Fiesp. Fizemos um cruzamento de fatores que terão forte impacto daqui para frente, como desenvolvimento sustentável e evolução tecnológica, com fatores de longo prazo que são crescimento e envelhecimento da população mundial e elevação da renda. Esse entrelaçamento de informações resultou em macrotendências nos segmentos de saúde, infraestrutura, trabalho e qualificação, alimentos, urbanização, segurança, energia, perfil do consumidor e entretenimento e turismo”, explicou.

O empresário destacou que a pandemia aumentou a importância estratégica da indústria e mudou o comportamento dos consumidores. “No futuro teremos maior preocupação com saúde e higiene, assim como o aumento da telemedicina e uma demanda por saúde personalizada. O uso de tecnologias será amplamente aplicado na produção de fármacos, medicamentos e vacinas”, destacou.

Essa segurança tecnológica também afetará a produção de alimentos. “Haverá uma procura maior por alimentos mais saudáveis, com menos aditivos, com procedência conhecida e que fortaleçam a imunidade. Devido às mudanças climáticas também teremos variedades mais resistentes ao clima, assim como sistemas de irrigação inteligentes, cultivo protegido e bioinsumos para controlar pestes, doenças e aumentar a produtividade”, comentou.

Cervone ressaltou que com a necessidade da redução das emissões de carbono, o segmento de energia também passará por transformações. “Haverá a modernização, expansão e digitalização das redes de transmissão e distribuição de energia elétrica, assim como os chamados smartgrids, que são sistemas digitalizados de distribuição e transmissão inteligente de energia”, disse.

As áreas de infraestrutura e urbanização igualmente passarão por grande expansão e modernização. “Nas próximas décadas veremos novos modelos de ocupação das cidades, cidades inteligentes, o aumento de espaços verdes e de lazer, assim como casas inteligentes. O perfil do consumidor e as relações do trabalho também serão impactados com uma maior valorização da casa, trabalho remoto e o crescimento do ensino à distância”, ressaltou.

Ao final da apresentação, Cervone destacou o crescimento dos investimentos em defesa e segurança cibernética, assim como metaverso e a fusão de espaços virtuais e reais na área de turismo e entretenimento.

“Vamos vivenciar o uso da robotização e de inteligência artificial em serviços de turismo, assim como o aumento da demanda por turismo internacional”, concluiu.

Cumprindo sua agenda, o presidente do Ciesp fez também uma visita no Parque Tecnológico de Sorocaba (PTS), onde foi recebido pelo presidente, Nelson Cancellara. Em seguida, visitou a empresa Flex, onde foi recebido pelo vice-presidente da Flex, Leandro Santos, e pelo diretor de Relações Governamentais da Flex, conselheiro do Ciesp Sorocaba e diretor estadual do Ciesp, Jorge Funaro, e conheceu o FIT, a produção da fábrica e o Sinctronics.


Compartilhe