SP amplia funcionamento de atividades econômicas

A ampliação da capacidade de público presencial e horário de funcionamento de comércios e serviços não essenciais no Estado de São Paulo está valendo desde domingo (1º).

SP amplia funcionamento de atividades econômicas Foto: Agência Brasil

SP amplia funcionamento de atividades econômicas

Economia Por: Alexandre Branco - 02/08/2021

A ampliação da capacidade de público presencial e horário de funcionamento de comércios e serviços não essenciais no Estado de São Paulo está valendo desde domingo (1º). Os estabelecimentos poderão funcionar entre 6h e 0h, com ocupação presencial de até 80% da capacidade.

As novas regras da fase de transição vão valer até 16 de agosto. O limite de horário de funcionamento de comércios, serviços em geral e espaços religiosos passa de 23h para 0h. Está confirmado o fim do toque de recolher durante as madrugadas.

A capacidade máxima de ocupação permitida nos estabelecimentos, atualmente em 60%, sobe para 80%. O uso obrigatório de máscara em ambientes de acesso público, distanciamento mínimo de um metro e respeito a protocolos de higiene estão mantidos.

O acesso de clientes a shoppings, galerias, lojas de rua, bares e restaurantes deverá ser interrompido às 23h, com atendimento permitido até meia-noite. Todas as atividades econômicas devem obedecer aos protocolos setoriais de segurança sanitária previstos no Plano SP (saopaulo.sp.gov.br/planosp/).

Eventos que geram aglomerações – casas noturnas, shows de médio e grande porte, competições esportivas com público, etc – continuam proibidos, com possibilidade de reabertura condicionada aos resultados de eventos modelo sob supervisão das autoridades de saúde e averiguação pelo Centro de Contingência do coronavírus.

Está mantida a recomendação de escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores dos setores de comércio, serviços e indústrias. Também seguem liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, sob rígido cumprimento de protocolos de higiene e distanciamento social.

As regras gerais e setoriais de segurança sanitária continuarão as mesmas da fase de transição e válidas para os 645 municípios. As prefeituras vão manter autonomia para determinar rigidez de restrições se as circunstâncias locais da pandemia e capacidade hospitalar tiverem piora.

As permissões foram balizadas pelo atual cenário do controle da pandemia em São Paulo. Indicadores da Secretaria da Saúde mostram reduções consistentes nas médias diárias de novos casos (-20,6%), internações (-18,3%) e mortes (-9,6%)


Compartilhe