Projeto pretende preparar professores referente a educação financeira

Programa planeja capacitar 500 profissionais da educação

Projeto pretende preparar professores referente a educação financeira Foto: REPRODUÇÃO

Projeto pretende preparar professores referente a educação financeira

Educação Por: Natalie Gallacci - 18/08/2021

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o Ministério da Educação (MEC) realizaram uma parceria para disponibilizar formação referente a educação financeira pra profissionais da rede pública. A decisão foi publicada nesta terça-feira (17/08) e será oferecida aos professores. Constituíram a mesa de inauguração do programa o ministro de Estado da Cidadania, João Roma; o presidente da CVM, Marcelo Barbosa; o presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro; o especialista financeiro, Tiago Reis; o Ministro de Estado da Educação, Milton Ribeiro; o secretário de Educação Básica, Mauro Rabelo e o diretor de Formação Docente e Valorização dos Profissionais da Educação, Renato Brito;

Com a intenção de em três anos capacitar 500 mil professores, alcançando assim 25 milhões de alunos. O Programa Educação Financeira na Escola abordará temas como: investimentos, poupança, proteção contra fraudes, consumo consciente, entre outros.

Através de cursos disponibilizados gratuitamente, os professores estarão habilitados para poder ensinar a educação financeira em salas de aula, ensinando finanças pessoais ligadas às disciplinas curriculares, conforme esclarece Mauro Rabelo, secretário de Educação Básica, “O ineditismo dessa iniciativa está em formar os professores para que sejam entusiastas da educação financeira nas escolas de nosso país. Esse é um tema transversal previsto na Base Nacional Comum Curricular".

Renato Brito, diretor de Formação Docente e Valorização dos Profissionais da Educação disse que, "Muitas vezes nós queremos colocar a educação financeira em pauta dentro das escolas, mas nos esquecemos de possibilitar a segurança do professor sobre o tema. Um professor seguro do que será desenvolvido potencializa o reflexo nos estudantes." confirmando a relevância de centralizar o centro dessa formação nos professores.

Segundo o Ministro da educação, esse planejamento é uma herança para as próximas gerações, “Meu sonho é que a população brasileira não compre coisas pelo número de parcelas que cabe no bolso, mas que tenha um mínimo de condições de fazer um exame direto e rápido se o juro embutido não está muito caro”, disse.

Será debatido pelos cursos os planejamentos para métodos de tratar as temáticas no decorrer das aulas, de uma forma que desperte o interesse dos estudantes.

De acordo com a listagem da Organização pra a Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil está na 17ª colocação entre 20 países avaliados quanto ao nível de conhecimento dos estudantes sobre o assunto.


Compartilhe