Deputado estadual agente federal Danilo Balas
Thiago Silva
04 de Agosto de 2021

Nosso entrevistado de hoje é um bom homem, um bom parlamentar e um exemplo de como ser um bom cidadão. Danilo Mascarenhas de Balas, 44 anos, casado, pai de família, deputado estadual (PSL), nascido e criado na grande e histórica Sorocaba. Formou-se Aspirante Oficial em 1997 na Academia de Polícia Militar do Barro Branco e iniciou sua carreira no patrulhamento ostensivo na zona sul de São Paulo. Em 2000, formou-se professor pela Escola de Educação Física da Polícia Militar e, em 2001, concluiu sua Especialização em Fisiologia do Exército pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Cursou a faculdade de Direito na Uniban, concluindo a graduação no ano de 2004, quando passou no concurso de Agente da Polícia Federal, iniciou seu trabalho na fronteira do país no Estado do Acre e participou de inúmeras operações policiais pelo Brasil no Comando de Operações Táticas (COT), unidade de elite da Polícia Federal sediada em Brasília. Um homem acostumado com a ação, mas que decidiu dar uma pausa no distintivo e na pistola para nos servir e proteger com as palavras e ações parlamentares. Um grande deputado defendendo um grande estado.

Deputado como o senhor encara esses poucos “sobreviventes” da esquerda comunista que tentam derrubar o nosso presidente Bolsonaro? E o que pode ser feito para cortar de vez esse mal pela raiz?

A esquerda continua atrapalhando o crescimento do Brasil. Além de ter saqueado nosso país em anos anteriores, tumultua o governo de nosso Presidente Jair Bolsonaro. Infiltrados na imprensa, no Poder Judiciário, no Ministério Público, na Educação etc, integrantes da esquerda ainda têm certo poder, mas com a união das forças do bem venceremos mais uma vez e "enterraremos" esses antipatriotas.

O senhor vem fazendo um bom trabalho como deputado estadual trazendo recursos diversos por todas as regiões de São Paulo, diga-nos o senhor pretende buscar “voos” mais altos na política nacional?

Atuar como Deputado Estadual tem me aproximado muito da população e tem me dado a oportunidade de ajudar as pessoas. Por enquanto pretendo continuar a atuar no Parlamento Paulista.

Qual a sua posição sobre a CPI da covid?

A CPI do COVID é uma manobra da oposição, daqueles que querem o pior para o Brasil e querem atingir o governo do Presidente Bolsonaro. A CPI é um circo.

Qual a sua avaliação para o governo Bolsonaro até o presente momento?

Minha avaliação sobre o governo Bolsonaro é positiva. Antes o país assistia toda semana operações da Polícia Federal de combate à corrupção envolvendo agentes públicos diretamente ligados ao governo federal - petrolão, mensalão, sanguessugas etc. A economia começa a respirar após uma pandemia que tirou a vida de muitas pessoas e prejudicou muito o país em todas as áreas.

Qual a sua expectativa para as eleições de 2022?

Trabalharei muito para que o Presidente Bolsonaro se reeleja. Sobre mim, eleger-se foi um desafio, a reeleição é ainda mais difícil. Espero continuar no Parlamento Paulista para dar continuidade ao trabalho de investigação e fiscalização dos atos do Poder Executivo, em especial as inúmeras obras paralisadas por todo o Estado.

Nossas forças policias estão muito desvalorizadas, sem respaldo, sendo alvo de criticas infundadas e tendo “alvos nas costas” sempre que partem para cumprir o dever. O que o senhor como deputado pode fazer para dar apoio para nossa força policial?

Tenho feito muito pelas Forças de Segurança de nosso Estado. Atuei firmemente para que meus irmãos entrassem no rol de prioridade para a vacinação do Covid-19, atuei também pelo chamamento de 600 aprovados no concurso de Investigador de Polícia Civil, sou coautor do Projeto de Emenda Constitucional sobre a Polícia Penal, sou autor do projeto que isenta o ICMS na aquisição de armas de fogo para policiais. Mas a principal demanda dos integrantes das Forças de Segurança é a salarial e, infelizmente, em São Paulo temos o pior salário do Brasil. Atuo firme na ALESP e cobro o governo do Estado para que haja a valorização e o aumento do salário dos policiais ou, ao menos, a recomposição inflacionária.

Na sua opinião descentralizar o poder do governador sobre a policia militar poderia ser uma solução para maior eficiência da força policial em todo território nacional?

Descentralizar o poder do Governador sobre a Polícia Militar não é a solução. A Polícia Militar tem atribuições constitucionais e deve permanecer onde está. O que precisamos é de um governo que valorize a polícia e não retire seus direitos, precisamos de um aumento salarial que propicie dignidade ao policial e para sua família, precisamos de um governo que reconheça verdadeiramente o profissional de polícia, que doa sua saúde ao estado e muitas vezes doa a sua vida à sociedade.


Compartilhe