Cookies management by TermsFeed Cookie Consent

Da obesidade à disputa da São Silvestre: meta alcançada pela votorantinense Silvia Belchior

Microempreendedora no ramo de confecções, Silvia Belchior, 52 anos, moradora do Parque São João, em Votorantim, era obesa e sedentária.

Da obesidade à disputa da São Silvestre: meta alcançada pela votorantinense Silvia Belchior Foto: Divulgação

Da obesidade à disputa da São Silvestre: meta alcançada pela votorantinense Silvia Belchior

Esporte Por: Alexandre Branco - 26/01/2022

Microempreendedora no ramo de confecções, Silvia Belchior, 52 anos, moradora do Parque São João, em Votorantim, era obesa e sedentária. A situação incomodava. Tanto que decidiu procurar uma modalidade esportiva para perder peso, ganhar bem-estar e qualidade de vida. Para isso, escolheu a corrida de rua. No entanto, mal sabia ela que, quatro anos depois, o esporte a levaria para a maior e mais tradicional maratona do mundo: a Corrida de São Silvestre.

Vestida de Supergirl – fantasia que ela mesmo fez –, Silvia percorreu as ruas da Capital sempre levando consigo uma de suas características principais nesta nova fase da vida: o sorriso! Afinal de contas, desde que começou a correr, em 2018, deixou para trás nada mais nada menos que 45 quilos.

Hoje, a prática do esporte se tornou hábito diário que a levou, “com o incentivo de pessoas especiais”, como faz questão de ressaltar, a atingir mais uma meta de vida, disputando a São Silvestre 2021. “Não briguei por posição e em categoria nenhuma, pois o único objetivo era concluir a prova no tempo determinado pela minha equipe”, explica.

São várias as equipes que Silvia representa e todas credenciadas pela Federação Nacional de Atletismo – Divas Que Correm, JPPereira Produtos Naturais e Integrais, Proeesp Corrida de Rua e Corredores da Alegria, esta última, inclusive, ela participa como voluntária em diversos eventos, sempre fantasiada de alguma heroína ou personagem de desenho animado.

Nas competições oficiais que costuma estar presente, Silvia não se preocupa em chegar ao pódio, pois a maior conquista, como gosta de dizer, “foi adquirir saúde”. Para este ano, a microempreendedora votorantinense não quer sair do foco e seguir participando das corridas de rua e eventos do gênero.

Já, para 2023, pensa em se dedicar às competições internacionais. “Sou atleta e corredora por acaso”, afirma Silvia. “Procuro colocar o bem-estar em primeiro lugar, pois a prática do esporte fez com que eu retomasse o ânimo para realizar até mesmo as tarefas corriqueiras do nosso dia a dia”, acrescenta. “Nunca é tarde para ser feliz.”


Compartilhe