Cerca de 42 pessoas são mortas por causa das inundações na Europa Ocidental

Vilarejos e cidades estão sendo devastadas por conta das chuvas.

Cerca de 42 pessoas são mortas por causa das inundações na Europa Ocidental Foto: CHRISTOPH REICHWEIN / dpa / AFP

Cerca de 42 pessoas são mortas por causa das inundações na Europa Ocidental

Geral Por: Natalie Gallacci - 15/07/2021

Até o fim desta quinta-feira (15/07), dezenas de pessoas estão desaparecidas e aproximadamente 42 pessoas foram mortas na Alemanha, após os recordes de chuva que a Europa Ocidental vem passando, destruindo os vilarejos e cidades. No estado de Renânia-Palatinado, mais precisamente região vinícola de Ahrweilwer, após o Rio Ahr transbordar, seis casas foram atingidas, 18 pessoas morreram e dezenas estavam desaparecidas, segundo a polícia.

Já na Bélgica, uma adolescente de 15 anos está desaparecida pois foi arrastada e dois homens estão mortos após a chuva forte. Na região alemã de Euskirchen, ao sul da cidade de Bonn, 15 pessoas estão mortas, as autoridades pedem para que os habitantes da região não saiam de casa por segurança.

Em torno de 200 mil famílias ficaram sem energia por conta das inundações. 2.500 trabalhadores de ajuda humanitária e centenas de soldados estão ajudando a polícia alemã nos resgates, utilizando tanques para poder desvencilhar as estradas que foram atingidas pelo deslizamento de terra e arvores caídas, enquanto os helicópteros tiravam as famílias que estavam presas no telhado de suas casas. Moradores que não tiveram suas casas ou estabelecimentos totalmente danificados estão utilizando vassouras e pás de neve para poder retirar as lamas depois que o temporal passou.

Em depoimento, o morador Michael Ahrend disse que ficou completamente surpreso, que imaginava que um dia poderia entrar água, mas não daquela forma, "Isso não é uma guerra, é simplesmente a natureza atacando. Devemos começar a prestar atenção nisso." acrescentou.

Não é a primeira vez que enchentes são a causa de inúmeras mortes na Alemanha, as que ocorreram em 2002 matou mais de 100 pessoas na Europa Central e cerca de 21 no lado leste da Alemanha. "Estou chocada com a catástrofe que muitas pessoas nas áreas inundadas têm de enfrentar. Minhas condolências para as famílias dos mortos e desaparecidos", falou Angela Merkel, chanceler alemã.

Após o candidato conservador à sucessão de Merkel como chanceler e primeiro-ministro do estado de Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, visitar a região, ele colocou a culpa no aquecimento global: "Vamos enfrentar eventos deste tipo de novo e de novo, e isso significa que precisamos acelerar as medidas de proteção ao clima, nos níveis europeu, federal e global, porque o clima não fica confinado a um estado".


Compartilhe