Joe Biden assegura remover todo americano que queira partir do Afeganistão

Forças estrangeiras buscam agilizar as retiradas.

Joe Biden assegura remover todo americano que queira partir do Afeganistão Foto: SHAWN THEW/Agência EFE

Joe Biden assegura remover todo americano que queira partir do Afeganistão

Geral Por: Natalie Gallacci - 21/08/2021

Nesta sexta-feira (20/08), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assegurou remover qualquer americano que queira sair do Afeganistão. Em torno de 13 mil já foram conduzidos para a casa até o momento. Diante de inúmeras críticas pela retirada das tropas dos EUA, o presidente americano disse que não pode se comprometer com qual vai ser o desfecho no Afeganistão, onde os EUA lutaram contra a organização islâmica durante duas décadas.

Conforme Biden disse em um discurso na Casa Branca: "Esta é uma das maiores e mais difíceis pontes aéreas da história, e o único país do mundo capaz de projetar tanto poder do lado mais distante do mundo com este grau de precisão são os Estados Unidos da América."

Ao adicionar que o governo norte-americano buscará todo compatriota que quiser ir embora. "Faremos tudo, tudo que pudermos, para proporcionar uma retirada segura para nossos aliados afegãos, parceiros e afegãos que podem ser visados por causa de sua associação com os Estados Unidos," afirmou o presidente.

Forças estrangeiras buscam agilizar as retiradas por causa de relatos de retaliações do Talibã, incluindo contra cidadãos que operaram com as forças lideradas pelos EUA de saída ou o governo passado apoiado pelo Ocidente. Ao todo, países estrangeiros já retiraram mais de 18 mil pessoas desde que os militares conquistaram a capital Cabul, segundo a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), porém, governos ocidentais estão sendo criticados por não preverem uma saída tão caótica.

Muitos afegãos aflitos agarrados a documentos, crianças e alguns bens ainda abarrotavam o aeroporto de Cabul no momento em que integrantes do Talibã armados solicitaram que as pessoas sem documentos de viagem retornassem para suas casas. Desde domingo (15/08), dentro e nas proximidades do aeroporto, 12 pessoas já foram mortas, segundo as autoridades do Talibã e da Otan. Segundo um ministro holandês, a confusão é tanta que nenhuma nação sabe qual avião está seus cidadãos, e algumas pessoas foram pegas de surpresa enquanto visitavam seus parentes.

"Aqueles que estão em perigo não têm uma saída clara", manifestou Shabia Mantoo, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), pedindo para os países vizinhos permanecerem com as fronteiras abertas.

O Talibã solicitou união antes das orações nesta sexta-feira (20/08), pedindo aos imãs que convencessem as pessoas a não partir. Residentes de Cabul e de outros quatro municípios falaram que o comparecimento foi baixo, mas que as orações aconteceram sem acidentes. Entretanto, um civil alemão levou um tiro a caminho do aeroporto antes de ser retirado, conforme disse um porta-voz do governo alemão.


Compartilhe