Facebook, Whatsapp e Instagram voltam a normalidade após "apagão"

Problemas vão de erros e inutilidade em aplicativos, a bloqueio dos crachás de funcionários.

Facebook, Whatsapp e Instagram voltam a normalidade após "apagão" Foto: Reprodução IG

Facebook, Whatsapp e Instagram voltam a normalidade após "apagão"

Geral Por: Thiago Silva - 04/10/2021

Desde a manhã desta segunda feira (4), três redes sociais do grupo Facebook, de Mark Zuckerberg, ficaram fora do ar e completamente inutilizadas em quase todos os países por mais de 6 horas. Os serviços foram restabelecidos após às 19h.

Os responsáveis ​​do grupo americano usaram suas contas no Twitter, empresa concorrente, para pedir desculpas pelos inconvenientes que esse “painel mundial” causou aos usuários dos aplicativos, e também para darem atualizações sobre a situação.

Vários testes foram feitos em vão nas instalações da companhia, funcionários tiveram problemas ao tentar entrar no prédio da empresa, pois os crachás não funcionavam, reclamações se empilharam durante a tarde, baixas nas ações do Facebook e perdas que ultrapassam os US$ 6 bilhões.

De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, o problema aparentemente foi resolvido após uma pequena equipe de funcionários do Facebook se dirigir para o Data Center da empresa, situado em Santa Clara, na Califórnia, onde, de modo manual, resetaram os servidores da companhia. As causas reais dos problemas continuam a ser investigadas pela empresa.

O Twitter e Telegram também apresentaram instabilidades, porém pelo fato de que os mesmos foram “válvulas de escape” para os usuários, já que foi detectado um fluxo migratório gigantesco de novos usuários nos aplicativos que fez com que os mesmos apresentassem lentidão nas suas características.

No Brasil o site Downdetector, que detecta e monitora instabilidade em serviços online, identificou grandes picos de relatos de usuários enfrentando problemas nas três redes sociais, e havia indicativos de “interrupção generalizada” no Facebook por volta das 13h30 (horário de Brasília).

Bilhões de pessoas foram afetadas, principalmente quem usa as ferramentas virtuais como fonte de trabalho. Os aplicativos ainda estão voltando ao cem por cento de sua normalidade, e esta já é considerada uma falha de sistema mais grave e duradoura que já atingiu como redes comandadas por Zuckerberg.


Compartilhe