Com 100 anos de idade, Josef Schütz, que trabalhou para o governo Nacional-Socialista alemão, é julgado por “crimes de guerra”

Schütz é o mais idoso a já ser julgado por acontecimentos ocorridos na segunda guerra mundial.

Com 100 anos de idade, Josef Schütz, que trabalhou para o governo Nacional-Socialista alemão, é julgado por “crimes de guerra” Foto: TOBIAS SCHWARZ / AFP

Com 100 anos de idade, Josef Schütz, que trabalhou para o governo Nacional-Socialista alemão, é julgado por “crimes de guerra”

Geral Por: Thiago Silva - 07/10/2021

O ex-cabo da Terceira Divisão SS Totenkopf, Josef Schütz, será julgado por eventos ocorridos no final da segunda guerra mundial, entre os anos de 1942 a 1945, o julgamento começou nesta quinta feira (7), em Brandenburg an der Havel, no leste da Alemanha.

Schütz chegou ao tribunal caminhando com a ajuda de um andador e estava com o rosto protegido pela pasta do seu advogado, o advogado do mesmo, Stefan Waterkamp, disse que Schütz não se pronunciaria sobre as acusações que estão sendo feitas a ele, e que somente daria informações sobre sua atual situação.

Schütz respondeu em voz clara ao juiz quando foi questionado sobre seu nome e situação pessoal, ele disse que mora em Brandenburg, é viúvo desde 1986 e declarou com orgulho que vai comemorar seu centésimo primeiro aniversario no dia 16 de novembro, suas palavras cessaram após a declaração.

A primeira, das 22 audiências, foi encerrada com uma hora de duração por conta da idade avançada de Schütz que rapidamente se cansou com os questionamentos, em agosto ele passou por uma avaliação medica para saber se estaria apto a comparecer, por esses motivos de saúde o julgamento ocorre em um ginásio próximo a casa de Schütz para facilitar a locomoção do mesmo.

A acusação que lhe pesa é o fato de ter executado comunistas prisioneiros de guerra em Sachsenhausen, mesmo se condenado, Schütz cumprirá uma pena simbólica por conta da sua idade e não poderá ser levado para nenhum tipo de detenção.


Compartilhe