Cookie Consent by TermsFeed Generator

EUA: Repórter da ESPN deixa a emissora por não querer se vacinar

A profissional trabalhava no canal há 10 anos.

EUA: Repórter da ESPN deixa a emissora por não querer se vacinar Foto: Reprodução Lance.

EUA: Repórter da ESPN deixa a emissora por não querer se vacinar

Geral Por: Thiago Silva - 18/10/2021

A repórter de futebol americano universitário da ESPN, Allison Williams, fez um anúncio em suas redes sociais no último sábado (16), dizendo que está deixando a emissora por conta de uma determinação da empresa, que visa vacinar todos os seus funcionários contra a Covid-19.

Allison já havia se posicionado contrariamente a decisão da ESPN, e a principal motivação para a sua decisão de não se vacinar, seria pelo fato de ela e o marido estarem tentando conceber um segundo filho. De acordo com a repórter, seu médico lhe aconselhou a não tomar o imunizante.

A repórter de 37 anos, estava no canal há 10 anos, e vinha se mantendo no trabalho enquanto não fazia entradas ao vivo nos jogos, porém com a decisão da Disney, dona da ESPN, que entrará em vigor a partir do dia 22 de outubro, e com a negativa da empresa com relação ao seu pedido de acomodação para não receber a vacina, a repórter não teve outra saída se não pedir a demissão.

Na publicação, Allison explicou que, além do conselho médico, suas crenças também não se alinham com a obrigatoriedade da vacina.

“Crença é uma palavra na qual tenho pensado muito ultimamente, porque além das apreensões médicas em relação ao meu desejo de ter outro filho e receber esta injeção, também estou moral e eticamente não alinhada com isso. E eu realmente tive que cavar fundo e analisar meus valores e minha moral e, no final das contas, preciso colocá-los em primeiro lugar. E a ironia em tudo isso é que muitos desses mesmos valores e moral que considero prezados são o que fizeram de mim uma funcionária muito boa, o que me ajudou no sucesso que consigo ter em minha carreira”, declarou.

“Tentei, sem sucesso, ser breve e não me emocionar. Se você concorda ou discorda de mim, obrigada por ouvir. Não vou ecoar ou abrigar a hostilidade que alguns podem sentir em relação à minha decisão. Fazendo tudo que posso para seguir em frente e permanecer positiva”, escreveu a comunicadora na legenda.


Compartilhe