Cookie Consent by TermsFeed Generator

Caminhoneiros confirmam paralisação no dia 1º de novembro

Reunião de representantes da classe com deputados selou a decisão.

Caminhoneiros confirmam paralisação no dia 1º de novembro Foto: Reprodução FDR

Caminhoneiros confirmam paralisação no dia 1º de novembro

Geral Por: Thiago Silva - 29/10/2021

Nesta quinta-feira (28), foi realizada uma reunião entre lideranças de caminhoneiros e deputados em Brasília para discutir os interesses da classe principalmente sobre a alta dos preços dos combustíveis, na reunião, que foi tanto presencial como virtualmente, os caminhoneiros reiteraram que a greve nacional, marcada para a próxima segunda-feira, 1º de novembro, está mantida.

“Apresentamos a agenda, questionamos a política de preços dos combustíveis da Petrobras, pedimos apoio aos deputados nas pautas e reforçamos a greve para o dia 1º. O recado foi dado”, relatou o presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), Plínio Dias, ao Broadcast Agro, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Transportadores rodoviários autônomos e celetistas afirmam que vão paralisar as atividades em 1º de novembro caso o governo não atenda às reivindicações da categoria.

No encontro, caminhoneiros apresentaram suas demandas principalmente de cumprimento do piso mínimo do frete rodoviário, aposentadoria especial a partir de 25 anos e fim da política de preço da paridade de importação da Petrobras para combustíveis.

A reunião foi organizada pela Frente Parlamentar Mista dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas. Segundo o presidente da frente, deputado federal Nereu Crispim (PSL-RS), mais de 80 lideranças de caminhoneiros de vários estados do país e quatro deputados participaram da reunião.

Integrantes do Executivo foram convidados, mas não estiveram presentes, conforme o deputado.

“A manifestação da maioria foi de que ainda dá tempo do governo tentar estabelecer uma conversa, mas sem discursos que afrontem à categoria”, disse Crispim à reportagem.

Na reunião, o deputado pediu mais diálogo e entendimento do governo em relação às demandas da categoria.

(Com informações de AE)


Compartilhe