Cookie Consent by TermsFeed Generator

Chinesa presa por documentar o início da pandemia pode morrer na cadeia.

Zhang Zhan está sob greve de fome em forma de protesto contra sua detenção.

Chinesa presa por documentar o início da pandemia pode morrer na cadeia. Foto: Reprodução R7

Chinesa presa por documentar o início da pandemia pode morrer na cadeia.

Geral Por: Thiago Silva - 08/11/2021

A jornalista chinesa, Zhang Zhan, está detida pelo governo do país desde o ano passado por documentar o início da pandemia na cidade de Wuhan, onde o vírus foi feito e proliferado, Zhan é jornalista independente, e por isso sofre diversos ataques e censuras do governo comunista que controla a imprensa no país.

Segundo a família, a chinesa de 37 anos se encontra em um estado de saúde muito debilitado, pois a mesma faz uma parcial greve de fome, e os familiares temem que a comunicadora não resista a esse inverno.

A jornalista foi presa pelas autoridades por documentar o inicio da pandemia na cidade de Wuhan e por ir contra a narrativa dada pelo governo sobre a causa da pandemia, noticiando informações que contradizem a real causa motivadora da doença, ela fez a cobertura independente da situação mostrando hospitais lotados, confusão nas ruas e o inicio do Lockdown.

A chinesa é considerada pela Anistia Internacional uma “jornalista-cidadã”, ou seja, não está vinculada à imprensa tradicional, pois essa é controlada na China.

“Jornalistas-cidadãos enfrentam frequentes assédios por exporem informações que o governo gostaria que ficassem guardadas”, afirma a Anistia.

Em maio de 2020, ela havia sido abordada e ameaçada por um desconhecido que disse que se ela divulgasse o material seria penalizada, dias após isso a policia local prendeu a jornalista alegando que ela estava “comprando briga e provocando problemas”.

No meio do ano passado, a jornalista realizou um protesto contra sua prisão, com uma greve de fome rigorosa, e ficou tão fraca que precisou a ir ao seu julgamento em uma cadeira de rodas. Ela foi condenada a quatro anos de prisão.

Em julho de 2021, com apenas 40 quilos, Zhan foi levada até um hospital, em uma condição de saúde “dramática”, relatou a Anistia. Atualmente, ela protesta com uma greve parcial de fome, mas seu corpo se deteriora cada vez mais, segundo a organização de direitos humanos.


Compartilhe