Justiça! Kyle Rittenhouse é absolvido de todas as acusações.

Caso teve alta repercussão nos EUA.

Justiça! Kyle Rittenhouse é absolvido de todas as acusações. Foto: Reprodução UR

Justiça! Kyle Rittenhouse é absolvido de todas as acusações.

Geral Por: Thiago Silva - 19/11/2021

Na noite de 23 de agosto de 2020, entre protestos e vandalismos realizados pelo movimento intitulado “Black Lives Matter” (ou “Vidas Negras Importam” em português), que naquela ocasião protestava contra a “brutalidade policial”, o jovem americano Kyle Rittenhouse, na época com 17 anos, armado com um fuzil totalmente legalizado, dissipou uma aglomeração criminosa que estava depredando e invadindo casas nos arredores de Kenosha, no estado de Wisconsin, nos EUA.

Kyle em legitima defesa, de sua vida e de sua casa, neutralizou dois criminosos, alem de ferir um terceiro. Na noite do ocorrido, o jovem se juntou com outros homens armados para proteger as residências e propriedades que estavam sendo atacadas pelos criminosos.

O jovem foi preso logo após o ocorrido, porém foi solto após o pagamento de uma impressionante fiança de US$ 2 milhões, que foram pagos através de inúmeras doações que o jovem recebeu, alem de ter o apoio massivo da população.

O júri demorou três dias e meio em deliberações, até que nesta sexta-feira (19) chegou ao veredito de que Kyle apenas utilizou o seu direito de legitima defesa quando efetuou os disparos e matou, sem pestanejar, dois indivíduos que tentaram contra a sua vida e seu patrimônio. Os 12 jurados declararam o jovem inocente das cinco acusações que lhe eram imputadas.

No tribunal o jovem se declarou inocente e disse que “só queria deter as pessoas que o atacaram”. Ao receber o veredito dos jurados, Kyle chorou copiosamente e teve que ser amparado pelos advogados.

Donald Trump, que na época era presidente e visitou Kenosha, disse que “Rittenhouse estava tentando escapar dos manifestantes. Então caiu e o atacaram muito violentamente, acredito que estava em verdadeiros apuros. Provavelmente o teriam matado”.

Como medida de precaução, após o final do julgamento, o governador de Wisconsin pediu a 500 soldados da Guarda Nacional que estivessem prontos para intervir em Kenosha, caso haja represálias de grupos criminosos do mesmo viés que agiram em 2020.


Compartilhe