PF investiga desvios de recursos destinados ao combate à Covid-19

Um grupo criminoso especializado em fraudar licitações e praticar irregularidades contratuais é alvo da operação Versalius.

PF investiga desvios de recursos destinados ao combate à Covid-19 Foto: CGU

PF investiga desvios de recursos destinados ao combate à Covid-19

Polícia Por: Thiago Silva - 30/09/2021

A Policia Federal (PF) com o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU), está realizando uma série de operações contra irregularidades e desvio de recursos na área da saúde. Os policiais investigam a atuação da quadrilha nos municípios de Santa Luzia, Bernardo do Mearim e Imperatriz, no Maranhão, em contratos relacionados a recursos públicos federais, serviços ao combate à pandemia da Covid-19.

Segundo informações da PF, uma investigação teve origem a partir do relatório sobre indícios de irregularidades nas compras públicas de insumos e bens, elaborado pela Central de Operações Estaduais da Secretaria da Fazenda do Maranhão, para o combate à Covid-19, no período entre o dia 01 a 31 de maio de 2020.

Investigações

Informações colhidas pela PF indicavam a existência de uma empresa “fantasma” que teria vendido mais de R$ 700 mil em equipamentos médicos para diversas prefeituras do interior do estado do Maranhão, em apenas três meses de pandemia. A empresa vendeu ventiladores pulmonares, monitores multiparamétricos, bombas de infusão e laringoscópio, sem nunca ter adquirido de algum fornecedor.

Os contratos firmados entre a empresa “fantasma” e as secretarias de saúde dos dois municípios, com a utilização de recursos federais repassados pelo Fundo Nacional da Saúde para o combate ao novo Coronavírus, somam R$ 162.750,00, que será o valor do prejuízo financeiro caso se confirme a não entrega dos equipamentos.

Alem do prejuízo financeiro, a operação Versalius busca estancar os problemas que derivaram desses desvios. Pessoas enfrentadas sem atendimento médico por não ter equipamentos adequados para os tratamentos devidos, tudo em resultado das irregularidades investigadas.

As diligências seguem em curso por todas as localidades informadas, ao todo 28 policias e 5 servidores da Controladoria, já cumpriram sete dos oito mandados de busca e apreensão.

(Com informações da Controladoria-Geral da União)


Compartilhe