Polícia Civil de SP resgata 46 pessoas mantidas por clínica em cárcere privado

A Polícia Civil resgatou 46 internos que eram colhidos em cárcere privado em um centro de tratamento e assistência ao dependente químico.

Polícia Civil de SP resgata 46 pessoas mantidas por clínica em cárcere privado Foto: Divulgação

Polícia Civil de SP resgata 46 pessoas mantidas por clínica em cárcere privado

Polícia Por: Alexandre Branco - 07/08/2021

A Polícia Civil resgatou 46 internos que eram colhidos em cárcere privado em um centro de tratamento e assistência ao dependente químico, localizado no município de Pindamonhangaba. Uma operação policial, realizada na última quarta-feira (4), resultando na prisão em flagrante de dois homens, de 33 e 44 anos. Uma terceira pessoa, de 36 anos, é investigada.

Na clínica, os policiais constataram que os internos eram furados dentro do quarto, sem alimentação, e tinha como ligações para familiares vigiadas para que não falassem sobre a situação à qual estavam sendo considerados. Também foram encontrados medicamentos que exigiam receitas médicas e estavam alocados de maneira errada.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), a Polícia Civil já investigava o local por requisição do Ministério Público Estadual (MP). As atividades da clínica foram suspensas para apreciação do Ministério Público.

A requisição do MP trazia uma informação de que, naquele local, as pessoas estariam cometendo crimes e descumprindo um termo de ajuste de conduta (TAC) firmado com o órgão. Diante disso, cumpriu-se mandado de busca e apreensão.

A ocorrência foi registrada no 1º Distrito Policial de Pindamonhangaba, onde o delegado ratificou a prisão em flagrante dos dois homens, tipificando a conduta como sequestro e cárcere privado e constrangimento ilegal. As investigações prosseguem por meio de investigação policial instaurado pela delegacia sede.

Participaram da operação agentes da Delegacia Sede de Pindamonhangaba, da Seccional e Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Taubaté e do Instituto de Criminalística. Além disso, integraram-se como atividades representantes do MP e da prefeitura, incluindo a Guarda Civil Municipal, a Vigilância Sanitária e as equipes do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas e da Assistência Social.

(Agência Brasil)


Compartilhe