Cookie Consent by TermsFeed Generator

Polícia Civil de Presidente Epitácio realiza operação COLUMBRA 2

Esta é a segunda fase da operação em combate a extorsão.

Polícia Civil de Presidente Epitácio realiza operação COLUMBRA 2 Foto: Divulgação Polícia Civil

Polícia Civil de Presidente Epitácio realiza operação COLUMBRA 2

Polícia Por: Thiago Silva - 09/11/2021

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Policia Sede de Presidente Epitácio/SP, deflagrou a 2ª fase da operação “COLUBRA”, que apurou crime de extorsão, praticado a partir do dia 22 de junho de 2020, contra uma advogada.

Na ocasião, a ofendida noticiou graves ameaças a sua pessoa e sua família, então, perpetradas por desconhecido(s), via ligações telefônicas e por “whatsapp”, como forma de cobrança de uma “divida”, a titulo de honorários advocatícios, que teria com uma ex-colega de trabalho, objeto, inclusive, de cobrança judicial frustrada, no valor de R$ 14.300.000,00.

Através de um trabalho técnico complexo, o serviço de inteligência policial da DPM Sede de Presidente Epitácio/SP conseguiu a colheita de elementos indicativos da autoria delitiva, propiciando a deflagração da 1ª fase da operação no dia 29 de julho do ano passado, com o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Paulista, dois na cidade de Presidente Epitácio/SP e dois no município de Bataguassu/MS.

Os documentos e equipamentos telemáticos apreendidos confirmaram a imputação da execução da extorsão a um homem de 44 anos, naquela oportunidade, residindo na zona rural de Bataguassu/MS, com nome falso.

Com ele foram apreendidos 7 telefones celulares, 12 chips, 1 cartão de memória, 9 pendrives e 15 documentos/papeis diversos. Foi apurado que o executor da extorsão respondia a processo crime por outro delito semelhante no estado do Mato Grosso do Sul, e ainda, possuía em seu desfavor 4 mandados de prisão, em dois processos distintos, expedidos pela Comarca de Presidente Prudente/SP. Formalmente interrogado, ele confessou a autoria delitiva.

A partir do trabalho de investigação, a Delegacia de Policia Sede de Presidente Epitácio colheu evidencias técnicas acerca da participação de outras três pessoas no crime, sendo dois advogados ocupando a posição na coautoria intelectual, e um terceiro, na coautoria funcional.

Os próprios investigados noticiam a origem ilícita da “divida” exigida a titulo de parte de honorários advocatícios, materializada em notificação extrajudicial original arquivada em cartório e que foi alcançada pelos investigadores.

Com a conclusão do procedimento persecutório, a Justiça decretou a prisão preventiva de dois dos acusados.


Compartilhe