Polícia Civil do Estado de São Paulo realizou hoje (02/09) a segunda fase da operação interestadual “Nêmesis”.

A operação Nêmesis visa cumprir a desarticulação de uma organização criminosa voltada a prática de furtos de cargas e falsas comunicação de crimes, responsável por causar um prejuízo estimado em mais de R$ 100.000.000,00 (Cem milhões de reais).

Polícia Civil do Estado de São Paulo realizou hoje  (02/09) a segunda fase da operação interestadual “Nêmesis”. Foto: Polícia Civil

Polícia Civil do Estado de São Paulo realizou hoje (02/09) a segunda fase da operação interestadual “Nêmesis”.

Polícia Por: Thiago Silva - 02/09/2021

A operação Nêmesis (deusa da mitologia grega que representa o destino, o equilíbrio e a justiça Divina) visa cumprir a desarticulação de uma organização criminosa voltada a prática de furtos de cargas e falsa comunicação de crimes, responsável por causar um prejuízo estimado em mais de R$ 100.000.000,00 (Cem milhões de reais).

Nesta segunda etapa da investigação, desencadeada pelo 01º DP de Rosana-Primavera, foram realizadas diligências completas o cumprimento de seis mandados de prisão preventiva, cinco deles expedidos pela Comarca de Rosana. As ações policiais foram desenvolvidas nos estados do Pará, Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro. Essas prisões foram decretadas pelo Poder Judiciário após a conclusão das investigações, oportunidade em que a Polícia Civil ofertou nova representação ao Poder Judiciário. Hoje (02/09), de maneira simultânea e conjunta, as Polícias Civis de São Paulo, Minas Gerais, Pará, Pernambuco e Rio de Janeiro, deflagraram uma operação policial que efetivou essas prisões. Espera-se que com o cumprimento dessas prisões, uma organização criminosa seja completamente desmantelada, cessando assim como práticas delitivas.

Relembrando o caso

No dia 23 de junho deste ano, a Polícia Civil de São Paulo desarticulou um grupo criminoso de desvio de cargas em todo o Brasil, os motoristas eram cooptados e, após carregaram legitimamente cargas de natureza variada, em específico de soja e ferragens em geral, desviavam essas cargas, entregando-as aos receptores, em seguida, compareciam em Distritos Policiais e Delegacias de Polícia, principalmente em São Paulo, onde noticiavam, falsamente, ocorrência de roubo, a maioria das vezes retratando “cárcere” por horas ou dia.

Durante as investigações, analisando os relatos dos noticiantes - na verdade furtadores da carga -, a Polícia Civil conseguiu desconstruir seus relatos empregando meios de investigação tecnológica. A organização criminosa, composta por, em sua maioria proveniente dos estados de Minas Gerais e Goiás, atuava com mais predominância no estado de São Paulo, onde através de seus integrantes procediam aos falsos registros. As investigações perdiam por quase um ano, onde se seguia que a organização criminosa foi responsável pelo desvio de cerca de duzentas cargas, avaliadas em torno de R$ 100.000,00 (cem milhões de reais).

Comprovou-se, desta forma, que mais de duzentos registros de roubo de carga encetados no Estado de São Paulo, de fato, não ocorreram. Durante uma investigação foram identificados trinta e seis integrantes dessa organização criminosa, os quais foram aqueles dados (22/06/21) indiciados pela prática dos crimes de organização criminosa, furtos comunicados e falsa comunicação de crime, sete deles tiveram suas prisões preventivas decretadas, sendo indiciados por falsa comunicação de crime, pois após o desvio de cargas ingressavam em unidades policiais informando fato não ocorrido e gerando o emprego imediato de recursos policiais na elucidação de crime inexistente. Durante a deflagração da fase ostensiva da investigação policial ainda se cumpriram cinquenta e sete buscas domiciliares.

Visando ainda o sufocamento financeiro da organização criminosa, um representante da Polícia Civil ao Poder Judiciário pela decretação de apreensão de mais de cem veículos, totalizando um valor de sete milhões de reais, o que foi determinado pelo Juízo da Comarca de Rosana / SP. A ação policial ocorre simultaneamente em sete estados da federação (SP; MG; GO; PE; PA; RJ; e BA) e contou com o apoio das Polícias Civis Esses Estados, totalizando 220 (duzentos e vinte) policiais civis dos Estados Unidos. Também em apoio ao 01º Distrito Policial de Rosana / SP, atuaram a DIG-DEIC-8 e como Delegacias Seccionais de Polícia de Presidente Prudente / SP e Presidente Venceslau / SP.

A Polícia Civil explica que o desmantelamento dessa organização criminosa se traduz no alcance de equilíbrio ainda maior nas estatísticas criminais - que já são positivos -, possibilitando um melhor gerenciamento dos recursos e da atuação policial, à medida que se mostra que parte dos roubos de carga registrados eram, na verdade, falsas comunicações de crime. Agora, concluídas as investigações, os investigados foram processados ​​pelo Ministério Público e apenas parte deles responderá ao processo em liberdade. Dos seis mandados de prisão preventiva expedidos, quatro foram cumpridos até o momento.


Compartilhe