Em documento, PF apoia o voto impresso e recomenda que a segurança eleitoral seja feita pela ABIN

Relatório havia sido feito em 2018, mas só enviado dia 22 de setembro deste ano para o Senado e tribunais eleitorais.

Em documento, PF apoia o voto impresso e recomenda que a segurança eleitoral seja feita pela ABIN Foto: Reprodução R7

Em documento, PF apoia o voto impresso e recomenda que a segurança eleitoral seja feita pela ABIN

Política Por: Thiago Silva - 02/10/2021

Um relatório feito em 2018, e entregue no último dia 22 de setembro, pela Polícia Federal, recomendou a aprovação do voto impresso e a transferência de todas as tarefas executadas por empresas terceirizadas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência). Trechos do documento foram divulgados nesta segunda-feira (27) pelo senador Espiridião Amin (PP-SC), que presidiu uma sessão temática sobre os assuntos.

O documento é em um todo confidencial, por isso apenas partes do relatório puderam ser lidas, alguns trechos foram encobertos com tarjas impostas pela PF, uma parcial do relatório que foi examinada fazia um total de 14 recomendações ao TSE. O texto escrito por três peritos federais ainda recomenda “que sejam envidados todos os esforços para que possa existir o voto impresso para fins de auditoria”.

O diretor-chefe da Policia Federal, Paulo Maiurino, participou dessa sessão do senado e também foi representado pelo delegado Luís Flávio Zampronha, que destacou que o documento é meramente opinativo, mas chamou atenção para o fato de que o TSE não informou se alguma das recomendações foi atendida.

“Este foi o último relatório elaborado pela PF em relação às análises dos códigos-fontes dos sistemas eleitorais do TSE. Não recebemos o feedback do TSE sobre quais recomendações foram atendidas”, disse ele.

Durante a sessão, o juiz federal auxiliar do TSE, Sandro Nunes Vieira, sustentou que, embora o órgão Tribunal use os serviços de uma empresa terceirizada, o corpo técnico do tribunal participa de toda a coordenação, inteligência, desenvolvimento, teste e aprovação do processo. Sobre a mudança na segurança, o juiz afirmou que “o protagonismo é do TSE”.

Com o possível aval do TSE para algumas dessas recomendações, a segurança eleitoral seria muito melhor executada, já que a ABIN é uma grande e renomada agência de segurança governamental, e de forma absolutamente neutra exerceria um papel com muito mais autonomia junto à Polícia Federal, sendo fundamental para a garantia do justo processo eleitoral.


Compartilhe