Globo é condenada e terá de pagar R$40 mil para assessor da deputada Bia Kicis

Emissora teria associado erroneamente a imagem do assessor, com movimentos políticos americanos.

Globo é condenada e terá de pagar R$40 mil para assessor da deputada Bia Kicis Foto: Valdimir Platonow

Globo é condenada e terá de pagar R$40 mil para assessor da deputada Bia Kicis

Política Por: Thiago Silva - 06/10/2021

A rede Globo novamente foi condenada pela justiça e terá que pagar uma indenização, desta vez o beneficiado será o assessor da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), Evandro de Araújo Paula, que entrou com ação por danos morais e o pedido de retirada da matéria da internet.

Após ver sua imagem atrelada pela emissora, ao “Grupo dos 300”, grupo esse que supostamente teria realizado protestos com inspirações em um famoso grupo norte-americano.

O grupo em questão seria a Ku Klux Klan, um antigo grupo nacionalista americano criado em 1865 e que está em atividade até hoje dentro e fora dos EUA. De acordo com a Globo o “Grupo dos 300”, teria se inspirado no movimento americano para realizar os protestos ocorridos em 2020, e que esses eventos teriam a organização do assessor da deputada.

A reportagem foi exibida no jornal nacional no dia 7 de junho deste ano, e também publicada no G1, Evandro diz ter se sentido “humilhado” após a associação, e por isso decidiu ir à justiça contra a emissora.

A Globo foi condenada a pagar R $ 40 mil ao assessor. De acordo com o juiz Rômulo Teles, do DF, ouve abusos da liberdade de imprensa e ainda classificou a comparação feita pela emissora como de “cunho sensacionalista”.

“O mínimo esperado, por força da ética, da lealdade e de um agir razoável e pautado na boa razão, seria a adoção de uma postura mais diligente dos réus (Globo e repórter responsável pela reportagem) para, no exercício da opinião e da crítica , informarem a ocorrência do evento em atenção ao elemento simbólico pretendido pelos manifestantes”, comentou.

O magistrado ainda destacou uma clara diferença entre o grupo brasileiro e o americano, começando pela indumentária e modos de agir. O juiz ainda fez questão de explicar que o simbolismo adotado por Sara Winter, líder dos 300, tem conotação bíblica e está associado ao trecho da bíblia destacado em juízes 7, que narra a história da batalha de Gideão e os 300.

“As próprias vestes dos manifestantes do Grupo 300 no protesto, roupas pretas e uso de máscaras, em muito se assemelham as usadas por outros grupos no país em suas manifestações, dos mais diversos matizes ideológico-políticos, a exemplo dos Black Blocs e Antifas, não havendo recordação por este juízo de qualquer associação dos grupos ao fenômeno do racismo” completou o magistrado.

Após sentença, o juiz negou o pedido de retirada do conteúdo do ar, porém estipulou que apenas o trecho que se refere ao assessor e à comparação fosse retratado pela emissora. Apesar da decisão o Grupo Globo removeu todo o conteúdo de suas plataformas.


Compartilhe