Filho do ex-líder líbio Muammar al-Gaddafi, irá se candidatar a presidência do país.

Saif al-Islam Gaddafi, irá concorrer nas eleições marcadas para o próximo dia 24 de dezembro.

Filho do ex-líder líbio Muammar al-Gaddafi, irá se candidatar a presidência do país. Foto: Al Jazeera

Filho do ex-líder líbio Muammar al-Gaddafi, irá se candidatar a presidência do país.

Política Por: Thiago Silva - 17/11/2021

Saif al-Islam Gaddafi, o filho do ex-líder da Líbia, Muammar al-Gaddafi, apresentou sua candidatura a presidência do país no ultimo domingo (14), a Alta Comissão Eleitoral (sigla HNEC em inglês) confirmou a candidatura acrescentando que ele “submeteu os documentos na delegação da HNEC em Sebha, completando assim todas as condições jurídicas requeridas pela lei número 1 relativa à eleição do chefe de Estado, adotada pelo parlamento“.

Em discurso logo após a confirmação de sua candidatura, Saif se mostrou otimista e convidou os líbios a participarem das eleições.

“A Líbia está às portas de uma estação histórica e diante de um título fatídico que nos ajudará a sair da crise vivida pelo país”

“Estendo este convite a todos vocês que compartilham o sonho de salvar a Líbia do jogo da guerra e do caos e restaurar a estabilidade, paz, prosperidade, coexistência fraterna e harmonia comunitária. Apelo a si e a todos os que acreditam no projeto abrangente de reconciliação nacional a recorrer ao processo eleitoral com a responsabilidade exigida pela gravidade da fase, começando por dirigir-se aos escritórios do HNEC nas suas regiões e cidades para receber os seus cartões eleitorais, sem o qual você não poderá participar e tomar decisões”.

“Os seus cartões eleitorais estão atualmente disponíveis nos escritórios do HNEC. É o seu passaporte para passar às urnas para participar na tomada de decisões nacionais independentes, para aumentar a legitimidade das novas instituições políticas que você vai eleger para fazer o nosso país avançar, reabilitá-lo e reconstruí-lo, e tomar as decisões necessárias para devolvê-lo ao seu primeiro lugar entre os países. Espero que sua resposta seja ampla e sua interação positiva e consciente do interesse da nação e de seu amor por ela”, concluiu.

As eleições no país estão previstas para o dia 24 de dezembro deste ano e terá a colaboração da Organização das Nações Unidas (ONU), que corrobora com a normalização do país. A líbia vive um intenso caos político e econômico desde o assassinato de Gaddafi em 2011, nos atos revoltosos conhecidos como Primavera Árabe.

Apesar de carregar o legado sanguíneo do pai, que é lembrado no país com muita afeição, os analistas afirmam que Saif Gaddafi pode não ser o favorito ao cargo, muito devido ao fato de estar a uma década distante do seu povo, aparecendo à público somente em duas oportunidades durante esse período, uma em 2015, por meio de link no tribunal de Trípoli, capital da Líbia, quando estava recebendo uma sentença de morte que obviamente não foi cumprida, e em uma outra ocorrida em julho deste ano quando concedeu uma entrevista ao New York Times.

De acordo com o “Al Jazeera” Saif Gaddafi foi condenado à revelia por seu papel durante os levantes populares intitulados como a Primavera Árabe em 2011, e é procurado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) por alegados crimes contra a humanidade.

Além de Saif Gaddafi, também devem concorrer à presidência libanesa o comandante militar Khalifa Haftar, o primeiro-ministro Abdulhamid al-Dbeibah e o presidente do Parlamento Águila Saleh.


Compartilhe