Cookies management by TermsFeed Cookie Consent

Dória vence as prévias do PSDB e irá disputar as eleições presidenciais de 2022

O atual governador de São Paulo superou Eduardo Leite e Arthur Virgílio Neto.

Dória vence as prévias do PSDB e irá disputar as eleições presidenciais de 2022 Foto: Reprodução Poder360

Dória vence as prévias do PSDB e irá disputar as eleições presidenciais de 2022

Política Por: Thiago Silva - 29/11/2021

Depois de muitas complicações no aplicativo que foi contratado para a votação, ataques hackers e até possíveis fraudes, as prévias partidárias do PSDB tiveram um final no último sábado (27). João Dória, atual governador de São Paulo, superou seus opositores dentro da sigla e se consolidou como presidenciável em 2022 representando o partido.

Mais de 29 mil filiados registraram os votos, e João Dória venceu com 53,99% dos votos, enquanto o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, ficou com 44,66%. O ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio conquistou 1,35%.

Ao declarar Dória vencedor, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, disse que as prévias foram uma amostra da democracia e que a sigla continuará realizando processos semelhantes para os governos de todos os estados.

“Chegaram a tentar nos calar. Talvez aqueles que têm dificuldades com a democracia, mas chegamos aqui. O PSDB sai mais forte desde quando tudo começou em abril. O PSDB não é omisso e inova com o maior processo da democracia. Hoje não saímos só com um candidato à presidência, mas com uma amostra que é possível fazer a democracia. O não vencedor é tão preparado para liderar o país quanto o vencedor e os três são importantes na unidade quanto o vencedor ”, disse.

Dória por sua vez, discursou e atacou os rivais ao cargo, como o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula, além de enfatizar os grandes feitos que, em sua visão, os governos PSDB realizaram pelo Brasil.

Em fala direcionada a Lula, o tucano disse que a adoção de políticas sociais não justifica "o maior esquema de corrupção do qual se tem notícia".

"Os governos Lula e Dilma representaram a captura do estado pelo maior esquema de corrupção do qual se tem notícia no país, a moralidade convertida em roubalheira. Fazer políticas públicas para os mais pobres não dá direito, a quem quer que seja, de roubar o dinheiro público. Os fins não justificam os meios. A péssima gestão da economia com Dilma nos legou dois anos de recessão e desemprego”.

Já em relação ao presidente Bolsonaro, Dória afirmou que o presidente "vendeu um sonho e entregou um pesadelo".

"Nosso fraterno Brasil se transformou no Brasil da discórdia, da desunião, do conflito, da briga entre familiares e amigos, da arrogância política. Da violência contra a democracia. Dos ataques à imprensa e aos jornalistas", concluiu.

Uma convenção nacional do PSDB irá oficializar formalmente o nome do governador de São Paulo. A candidatura só será concreta após o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O prazo para inscrição de candidaturas se encerra em agosto do próximo ano.


Compartilhe