Cookie Consent by TermsFeed Generator

Bolsonaro oficializa sua filiação ao PL

Durante a cerimônia, o presidente enfatizou que “seu governo conseguiu resgatar valores patrióticos no povo brasileiro”.

Bolsonaro oficializa sua filiação ao PL Foto: Reprodução Poder360

Bolsonaro oficializa sua filiação ao PL

Política Por: Thiago Silva - 30/11/2021

Chega ao fim a “novela” sobre a filiação do presidente Jair Bolsonaro. Em cerimônia realizada no auditório do Complexo Brasil 21, em Brasília, no Distrito Federal, nesta terça-feira (30), foi oficializada sua entrada no Partido Liberal, (PL), onde o presidente buscará a reeleição em 2022.

Na cerimônia figuraram nomes tanto de ministros do governo federal, como Ciro Nogueira (Casa Civil) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo), quanto lideranças do PL.

Bolsonaro disse que a busca e escolha por um novo partido “não foi fácil”, mas afirmou que, assim como em um casamento, agora os integrantes de seu novo partido fazem parte de “uma família” e que ele estava se “sentindo em casa”.

“Estou me sentindo em casa. Vocês me trazem lembranças agradáveis, lembranças de luta, lembranças de embate, mas, acima de tudo, momentos em que nós, juntos, fizemos [muito] pelo nosso país”, disse o presidente.

Bolsonaro comentou sobre a batalha contra as ideologias pútridas, que são glorificadas por gestões anteriores e enfatizou que seu governo tem sido marcado por um resgate do patriotismo e de valores como “Deus, pátria e família”.

“Quem tem andado pelo Brasil, vê cada vez mais as cores verde e amarela predominando sobre o vermelho, as cores da nossa bandeira. Nós conseguimos fazer brotar no coração dos brasileiros o sentimento de patriotismo, de amor à pátria, de falar em Deus, pátria e família”.

Bolsonaro mencionou também que, apesar de alguns integrantes da “região da Praça dos Três Poderes” extrapolarem a liberdade ( clara referencia ao STF), alguns começam a se enquadrar nos fundamentos do país.

“Devemos zelar pela nossa liberdade. Alguns extrapolam aqui, na região da Praça dos Três Poderes, mas essa pessoa vai ser enquadrada, vai se enquadrando, vai vendo que a maioria somos nós. Nós, que temos voto, é que devemos conduzir o destino da nação”, concluiu.


Compartilhe