Cookie Consent by TermsFeed Generator

Em Franca, jovem de 14 anos corre risco de ficar cego após tomar vacina contra Covid-19

Adolescente teve diagnóstico de trombose da artéria central da retina e está sendo acompanhado por médicos da Unimed Franca.

Em Franca, jovem de 14 anos corre risco de ficar cego após tomar vacina contra Covid-19 Foto: Reprodução Jornal da Franca

Em Franca, jovem de 14 anos corre risco de ficar cego após tomar vacina contra Covid-19

Saúde Por: Thiago Silva - 26/10/2021

Um adolescente de 14 anos foi diagnosticado na Unimed Franca com um caso raro de trombose da artéria central da retina, provavelmente ocasionada por uma reação colateral da vacina contra Covid 19.

O assunto está mobilizando a classe médica do Hospital São Joaquim e outros profissionais da área oftalmológica, que também foram acionados. Os familiares do adolescente estão muito preocupados com uma possível cegueira.

Segundo informações, a diretoria da Unimed Franca estaria buscando profissionais da área oftalmológica para tratamento para o adolescente.

Mais exames

Um dos médicos acionados para atender o adolescente constatou o diagnóstico de trombose da artéria central da retina. O jovem já tinha feito exames neurológicos para afastar a possibilidade de um AVC.

O caso deste adolescente foi destacado por um amigo da família nas redes sociais de Franca no final da tarde desta segunda-feira (25).

Ele reproduziu a mensagem da mãe da criança e também postou um áudio falando sobre os efeitos colaterais da vacina da Pfizer no adolescente.

A mensagem de um grupo de WhatsApp foi divulgada pelo Jornal da Franca.

A mensagem diz: “Meus amigos. Peço orações a vocês. Yuri, meu filho, teve reação com a 1ª dose da vacina, Pfizer, não está enxergando do olho direito, está internado aqui no São Joaquim de Franca, fazendo uma série de exames para ver se há mais coágulos nas artérias”.

A mensagem continua dizendo: “Ontem fez das carótidas, está tudo bem…  Hoje será da parte cardiológica… Peço orações para que tudo corra bem”.

“Soubemos que já mais casos iguais, foram feitas aplicações para que volte pelo menos uma parte da visão! Agradeço as orações de cada um de vocês! Sei que é o que mais vai ajudar nesse momento de dificuldade que estamos passando”, diz a mãe.

Efeitos colaterais das vacinas

Segundo pesquisa publicada pela Summit Saúde Brasil 2021 e reproduzidas pelos jornais British Medical Journal, Forbes, CNBC, The Guardian, há um risco aumentado de eventos raros de coagulação sanguínea e trombocitopenia em um período de 8 a 28 dias após a dose inicial da vacina da AstraZeneca.

Segundo um médico cirurgião vascular de Franca, o risco corresponde a 0,004% das vacinas aplicadas.

No mesmo período, os riscos de formação de coágulos e AVC também cresceram em quem recebeu a primeira dose da Pfizer.

Além dos problemas citados, outra reação considerada rara após a vacinação contra o coronavírus é o risco de choque alérgico.

Já reações como dor no local da injeção, vermelhidão, inchaço, dor de cabeça, febre, fadiga e dores nos membros são comuns e costumam desaparecer em poucos dias.

Como ressaltaram os autores, todas as vacinas em uso no combate ao coronavírus passaram por ensaios clínicos randomizados, que podem não ser suficientes para detectar eventos adversos muito raros.

Porém, há uma análise de riscos e benefícios para averiguar a continuidade da imunização quando eles são descobertos.

(Com informações do Jornal da Franca)


Compartilhe