Secretário da Saúde declara que "passaporte da vacina" será alternativo em shopping, restaurantes e bares

De acordo com Edson Aparecido, Secretário Municipal da Saúde, o certificado não será obrigatório em shoppings, bares e restaurantes

Secretário da Saúde declara que "passaporte da vacina" será alternativo em shopping, restaurantes e bares Foto: Getty Images

Secretário da Saúde declara que "passaporte da vacina" será alternativo em shopping, restaurantes e bares

Saúde Por: Natalie Gallacci - 23/08/2021

Logo após o comunicado realizado hoje (23/08) pelo prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), referente a necessidade de mostrar um "passaporte da vacina", contra a COVID-19, para que as pessoas possam entrar nos estabelecimentos, de acordo com Edson Aparecido, Secretário Municipal da Saúde, o certificado não será obrigatório em shoppings, bares e restaurantes.

Entretanto, o secretário disse que restaurantes com eventos, terão a necessidade de mostrar o comprovante de vacinação. A condição é de que as pessoas estejam com o esquema vacinal atualizado, então, no caso de a pessoa ter tomado a primeira dose e a segunda ainda não ter chegado a data, não terá problemas, porém, quem estiver com atraso, poderá ser bloqueado de entrar no ambiente. De acordo com o prefeito, o comprovante será emitido através de um QR Code, por meio do App e-SaudeSP, da prefeitura, que apresenta todas as informações de saúde do usuário, com base nos dados do Ministério da Saúde, quem não conseguir emitir, poderá usar o comprovante físico. A proposta é para estimular a vacinação na capital.

Até a publicação da lei que regulamentará esse tema, ainda será estabelecido pela Vigilância Sanitária Municipal quais normas realmente vão valer no município. Conforme Nunes disse em uma coletiva de imprensa na manhã: "O conceito principal é que os estabelecimentos só vão poder aceitar pessoas que estejam com vacina [contra a Covid-19]. Esse é o passaporte. Se o estabelecimento estiver com pessoas sem vacina, e isso for observado pela Vigilância Sanitária, ele sofrerá multa".

A população deve baixar o App - que será apresentado nesta sexta-feira (27/08) -, realizar o cadastro e emitir o QR Code, o reconhecimento do código vai autorizar que os estabelecimentos vejam se a pessoas está com as doses em dia, caso esteja atrasada, cabe ao lugar impedir a entrada desta pessoa. A data de começo da norma e o preço da multa ainda não foram apresentados.

Desde terça-feira passada (17/08), as normas de restrições da quarentena foram eliminadas, não tendo mais restrição de horário de funcionamento ou público, somente a obrigação do uso da máscara e a recomendação de evitar aglomerações. Ocorreu neste final de semana registro de aglomeração de pessoa nos bares sem máscaras.

A Associação Nacional de Restaurantes (ANR), declarou através de um comunicado que vê com temor a definição da necessidade do passaporte. A organização, que representa grandes redes alimentícias, declarou que ainda não ocorreu diálogo com o setor antes da sugestão da medida. "A ANR entende que qualquer decisão que venha a impactar o setor deve ser precedida de diálogo com as autoridades. Bares e restaurantes enfrentaram e ainda enfrentam a pior crise de sua história em decorrência da pandemia. E em um momento de recuperação, vemos com muita preocupação exigir de consumidores atestados de vacina", declara o texto.

A nota ainda diz que a organização é a favor do uso da máscara e da vacinação, além das normas para evitar que o vírus aumente, mas que "exigir certificados de vacinação pode fazer sentido em países onde poucos têm se vacinado, mas esse não é o caso do Brasil".

Segundo Rodrigo Goulart, diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) em São Paulo, a organização concorda que a exigência serve para estimular à vacinação, porém, ressalta que o App pode ser uma dificuldade para as pessoas. "Sendo um incentivo à vacinação, o setor vê como apoio. A única ressalva e preocupação que o setor tem é com a funcionalidade desse aplicativo para que não seja um impeditivo ou obstáculo para frequência dos seus usuários, clientes, e também dos próprios estabelecimentos preocupados com o manuseio e a utilização desse aplicativo", declarou o diretor.

E a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), declarou que está se comunicando com a Prefeitura e que "até o momento, não há uma definição final para quais setores haverá a obrigatoriedade da apresentação do passaporte de vacinação".


Compartilhe